sábado, 6 de junho de 2009

O que podemos aprender com o Avião que Caiu?

  • “Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. 14 Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. 15 Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo”. Tiago 4.13-15
  • Os meios de comunicações, principalmente a televisão, que é a grande responsável por atingir as massas, não falam de outra coisa que não seja o até então misterioso acidente do Airbus A330, da Air France, do voo AF 447, que fazia a ponte aérea Rio de Janeiro a Paris no ultimo domingo. Muitas coisas já foram ditas a respeito desse acidente, muitas ainda serão faladas e outras precisam ser ponderadas. Portanto, meu propósito aqui não é falar sobre o acidente em si. Apenas levantar alguns questionamentos sobre a transitoriedade da vida e chamar a sua atenção sobre a incompetência do homem em determinar o seu futuro.
  • Entre as diversas pessoas que estavam no avião, posso destacar o casal que estava viajando em lua de Mel, o casal que esta viajando para comemorar o aniversário de casamento, o jovem que estava indo ao velório do pai, o grupo de amigos que tinha vindo ao Brasil fazer ação social, o jovem que veio passar o aniversário com a família, também pessoas que viajavam a negócios, em busca de fecharem contratos bilionários e tantas outras, que tinham outras razões que desconhecemos.
  • Mas o que todas essas pessoas tinham em comum? Qual a convicção maior que uniam todas elas? Eu creio que elas tinham em comum a plena certeza de que chegariam à Paris. Todas elas estavam certas de que viajavam com o mínimo de segurança possível e chegariam ao seu destino e que realizariam os planos e os projetos até então traçados. Ninguém contava que haveria uma tragédia no meio do caminho e que a mesma mataria 228 pessoas. Isso é obvio. O que não deve ser obvio é a leitura que devemos fazer de acontecimentos como esse. Em primeiro lugar, devemos lembrar que isto não é um acontecimento incomum. Cerca de 50 milhões de seres humanos morrem no mundo por ano; seis mil a cada hora, cerca de 100 a cada minuto. E a maioria não morre em idade madura e avançada. A maioria morre jovem e a maioria morre após uma longa e agonizante luta com a dor.
  • Quando dizemos isto, não estamos tentando convencer você a aceitar as calamidades. Pelo contrario, creio que calamidades repentinas, como a que vimos, devem nos chocar e levar à percepção de que isto acontece a cada hora. queremos que você tenha consciência de que as catástrofes sejam elas causadas através dos elementos naturais ou produzidas pelo homem, elas deveriam nos levar ao entendimento de que Cristo é o bem mais precioso que temos. Ele é a maior riqueza que o homem pode possuir, e todas as outras coisas são passageiras. Cristo é a certeza do presente e também do futuro. Longe de Cristo nem o presente é certo nem o futuro é garantido.
  • Para o apostolo Tiago o erro não é somente planejar o futuro como algo certo, mas principalmente falar desses planos como se o sucesso deles estivesse seguro. Em contrates com a arrogância e a vanglória dos homens, o apostolo Tiago coloca a vontade soberana de Deus “se o Senhor quiser”. Deus é quem determina o sucesso de nossos planos. Porque dEle depende se viveremos ou se morreremos. Dele dependente a realização dos nossos projetos. A nossa vida depende da graça de Deus. A Nossa vida depende do cuidado de Deus. Por essa razão os nossos planos e projetos deveriam ter sempre como alvo a gloria e o louvor a Deus em primeiro lugar. Por isso responda a você mesmo, porque você faz o que você faz? Porque você esta fazendo faculdade? Porque você esta desejando abrir uma empresa? Qual o objetivo do seu trabalho? Qual o objetivo da sua empresa? Por qual razão você deseja se casar? Por que você teve filhos ou deseja tê-los? Porque você quer comprar este ou aquele carro? Com qual objetivo você gostaria de ganhar mais dinheiro em seus negócios? A gloria de Deus? Ou busca hedonista de um prazer egoísta?
  • A ignorância sobre o futuro e a transitoriedade da vida humana deveria trazer sobriedade aos cristãos quando fazem planos e fazendo com que dependam absolutamente daquele que tem em suas mãos tanto o futuro quando a vida humana. Por essa razão você deveria buscar conhecer a Deus e planejar de acordo com a vontade dEle. Uma coisa deveria ser a sua principal meta. “O viver é Cristo e o morrer lucro”.
  • Podemos aprender algumas lições valiosas com o avião que caiu. Por exemplo, que somos limitados, incompetentes e carentes da sustentação que vem de Deus. Não impotar a tcnologia do avião, a capacitação dos pilotos, de nada tudo isso adianta se Deus se não tiver no controle. "Se o Senhor não guarda a casa, em vao trabalha os que a edificam". Aprendemos que as coisas dessa vida são passageiras, as quais são facilmente destruidas pelas traças e pelas ferugens, por essa razão a nossa luta maior deveria ser por construir tesouro nos céus e não aqui na terra. Aprendemos ainda, que o nosso coração deve sempre estar apegado a Cristo e não ao bens materias, porque num piscar de olhos perdemos tudo que possuímos neste mundo; ou que pelos menos pensamos possuir. Aprendemos que o amanhã pertence a Deus, por isso não deverimos viver ansioso, porque Deus está no controle do amanha.
  • Aprendemos que deveríamos amar a Deus como se não houve amanhã qui neste mundo, a nossa adoração deveria ser tão intensa como se fosse a ultima vez que estamos fazendo, deveiamos amar mais as pessoas e declarar este amor como se de fato não houvesse amanhã nesta terra. Diga a seu conjuge que voce o ama, diga a seu filho que voce o ama, diga a seus pais que você o ama, diga a seus amigos que voce os ama, pois você não sabe se amanhã será possivel voce dizer. Por isso diga hoje! A queda deste avião nós ensina ainda, que as tragédias deveriam sempre nos aproximar de Deus e nunca nos afastar dEle. Nos ensina que Deus é gracioso e soberano e que Ele está no controle de todas os eventos que envolve a vida do homem, ainda que não compreendamos completamente as razões e os motivos que levaram esses eventos acontecerem.

Um comentário:

Adalberto A. R. Taques disse...

mto grande esse texto. rsss