sábado, 25 de julho de 2009

Ampliando as Fronteiras das Nossas Amizades.

  • "Ó coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está dilatado. Não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos" 2 Co. 6.11-12
  • Nesta semana que passou foi comemorado o dia do amigo, uma data importantíssima para refletirmos sobre a amizade, já que nem sempre paramos para pensar na importância dos relacionamentos.
  • A verdade é que o ser humano não é auto-suficiente, ele não se basta, ele não se completa sem o outro, o homem é um ser relacional, que necessita ter relacionamentos e amizades. A razão disso, é que Deus ao criá-lo, o fez para refletir alguns dos seus atributos. Logo, sendo Deus um ser relacional, que diferentemente do homem se basta em seu relacionamento trinitário, cria os homens como seres relacionais que precisam tanto do Criador, como também dos seus semelhantes. Em outras Palavras, nos temos por herança natural manifestações sentimentais que o próprio Deus colocou no nosso coração para que crescêssemos em amizade e companheirismo uns com os outros.
  • Portanto, entendemos que o homem não é uma ilha para viver isoladamente, e isso pode ser claramente percebido na vida, nos filmes, nas literaturas e nas novelas, onde os respectivos autores descrevem através de seus personagens a impossibilidade de uma pessoa equilibrada emocionalmente viver sozinha sem relacionamentos de cordialidade e amizade. Uma ilustração que retrata bem o que estou dizendo é o filme “Naufrago” estrelado por Tom Hanks, o qual conta a história de um homem que devido a um grave acidente aéreo ficou preso em uma ilha completamente deserta durante quatro (4) anos. E que precisou lutar para sobreviver, tanto fisicamente quanto emocionalmente, a fim de que um dia pudesse retornar à civilização. Tomado pelo medo e pela solidão ele resolveu fazer de uma bola de vôlei um amigo para si, o qual recebeu o nome de Wilson. Não sei se foi intencionalmente, mas o filme mostra-nós a necessidade que o homem tem de relacionar-se.
  • No texto citado acima, o apostolo Paulo esta focado em construir relacionamentos. Paulo foi alguém que enfrentou grandes barreiras na igreja de Corintios, alguém que se doou pela igreja, mas que muitas vezes só recebeu daqueles irmãos afronta, destrato e perseguição. Apesar de tudo isso Paulo ainda continuava aberto e esperançoso na construção de novos e duradouros relacionamentos com aqueles irmãos. O texto então é uma advertência do apostolo para que aquela igreja abrisse o coração, destrancasse os ferrolhos da alma, se armasse com sentimentos confiáveis e verdadeiros, e demonstrasse amor e alegria na relação com o apostolo, algo que ele sempre evidenciou àquela igreja.
  • Isso, nós ensina que não somos auto-suficientes, somos pessoas que carecem de dilatar o coração, estender as amizades, conhecer e conviver bem com os irmãos. As guerras necessitam ficar fora do nosso quadrado e a paz precisa ser buscada e estendida em todas as nossas relações.
  • Logo, a amizade verdadeira é reflexo da comunhão e da amizade que temos com Deus por meio de Cristo. Esta amizade com Deus precisa ser estimuladora e construtora de parâmetros para as nossas relações de amizades. Não podemos dizer que amamos a Deus, e não amar o nosso próximo. Quanto ao amor, nós sabemos que está além das palavras, ele é visto na prática dos relacionamentos. O amor é ação. O amor é comprometimento com a verdade da palavra de Deus.
  • O mundo pós moderno tem distorcido o amor e estimulado os relacionamentos descartáveis, as pessoas já não mais namoram, apenas ficam, os casamentos já não são mais oficializados, pois estão juntos até quando der certo, já não falamos mais em amigos, dizemos colegas, um cara que eu conheci, uma senhora que era minha vizinha, etc. As consequências dessa relações superficiais dos nossos dias podem ser medidas nas artifialidades de nossas conversas, na falta de integridade nas relações, no estilo de vida eu fico no meu gueto e você no seu gueto "cada um no seu quadrado", pode ser vista ainda nos relacionamentos oportunistas, onde as pessoas são amigas até o dia em aquela amizade trouxer lucro, quando não mais for lucrativo tal relacionamento ha o distânciamento, e coloca-se a culpa na falta de tempo, no acúmulo de trabalho, na faculdade, etc.
  • Aqueles que estão em Cristo, não podem ser assim, precisam ser diferentes em seus relacionamentos, precisam ser integros em suas amizades, fale a verdade com seu amigo sempre, não use de politicagem nas suas relações, não seja oportunista, aprenda a servir em seus relacionamentos, invista e dedica-se à suas amizades, nós precisamos construir relacionamentos duradouros e não apenas relações surpeficiais. Precisamos ter amigos que amem a Deus, que o tema, e que sejam integros e honestos. Portanto, cuidado com as suas amizades, não assente nas rodas dos escarnecedores para desonrar a Deus, com pretexto de fazer amizade. Cuidado com seus "amigos" de faculdade, de trabalho, veja se esta amizade esta agrando a Deus. Porque em tudo, sabemos que Deus precisa ser glorificado, inclusive nos nossos relacionamentos de amizade.
  • Por isso, dedique-se na comunhão com Deus através da oração e do estudo da Palavra. Invista nas antigas amizades. Aproveite as oportunidades e crie novas oportunidades de comunhão e amizades com as pessoas com quem você convive. Saia do seu gueto e pague o preço para ter relacionamentos saudaveis e que agradem a Deus. Chame as pessoas para ir a sua casa, visite os seus amigos, rompa as barreiras que tiverem, de o primeiro passo para as novas amizades, não espere que as pessoas se aproximem de você, mas faça isso primeiro.
  • Lembre-se que o verdadeiro amigo é aquele que fala sempre a verdade, por isso, pregue a palavra para os seus amigos. Isso é a maior demonstração de amizade.
Feliz dia do amigo,
Dantas

2 comentários:

Adalberto A. R. Taques disse...

Feliz dia do amigo (atrazado) Dantas!
Deus abençoe!

Anônimo disse...

obrigado irmão.