quarta-feira, 22 de julho de 2009

As Estranhas Músicas de um Cristianismo Esquisito.

  • Sabemos que a música faz parte do cotidiano dos homens. Desde do ínicio de sua história o homem sempre teve relacionamento bastante forte com a música, a prova disso, é que já nos primeiros capítulos da Bíblia temos mensões de instrumentos musicais sendo criados e construídos pelos descendentes de Caim. E em toda a Bíblia temos relatos sobre musicos de qualidades inquestionáveis que usavam a música como forma de adoração a Deus; ficando claro que tão antigo quanto a existência da música é também a sua utilização em culto ao Deus da Bíblia ou a deuses pagãos.
  • Portanto, a grande questão que precisa ser discutida na música contemporânea não é o seu ritmo e nem a sua melodia, mas a sua letra, essa é a grande diferença entre música e música. Ainda que em determinadas culturas alguns ritmos ganhem status de profanos e fiquem inviavéis e praticamente impossíveis de serem utilizados nos cultos. Apesar disso, o nosso maior problema hoje é com o baixo nível intelectual, moral, cultural e teológico das letras.
  • Atualmente não gosto da divisão que normalmente é feita entre música sacra e música profana; entendo que indepedente dos ritmos em que são tocadas, existe música boa e música ruim. Música ruim é aquela que exalta e estimula o pecado. Música boa é aquela que fala das verdades de Deus, mesmo que não tenha objetivo religioso, mas como fruto da graça comum de Deus derramada sobre os homens, os quais conseguem falar com verdade e propriedade sobre o Criador, a criação,o amor, as alegrias, as tristezas, os sonhos, etc.
  • No entanto, é importante ressaltar que as músicas para serem cantadas no culto solene em louvor e adoração a Deus, precisam ter em suas letras mais do que evidências da graça comum de Deus, mas nessecitam evidênciar a graça especial do Senhor, ou seja, a música para ser cantada no culto tem que ser serva da palavra de Deus. Foi assim no período do Velho Testamento, no periodo do Novo Testamento, nos primeiros seculos do Cristianismo, no período da reforma e pós-reforma e precisa ser assim também com os “hinos” e “corinhos” contemporâneos cantados nas igrejas atualmente.
  • Diante disso, de acordo com a Teologia e a Confissão de Fé da Igreja Presbiteriana do Brasil, quero analisar a teologia e lógica de alguns “corinhos” que se cantam em algumas igrejsas Presbiterianas. Digo Presbiteriana por que é a denominação da qual sou Pastor. primeira letra a ser analisada é a música “Faça o Melhor” cantada pelo grupo “Filho do Homem”, o qual tem melodia e ritmo empolgante, mas não expressa a verdade da palavra de Deus.
  • Segue abaixo a letra da musica.
“Cante, cante, cante ao Senhor pra sempre (2x)
Faço o melhor, faço o melhor ôôô
Faço o melhor pra Deus (2x)
Aplauda, Aplauda, Aplauda ao Senhor pra sempre (2x)
Faço o melhor, faço o melhor ôôô
Faço o melhor pra Deus (2x)
Pule, Pule, Pule ao Senhor pra sempre (2x)
Faço o melhor, faço o melhor ôôô
Faço o melhor pra Deus (2x)
Te amo, Te amo, Te amo meu Senhor pra sempre (2x)
Te amo, Te amo, Te amo meu irmão pra sempre (2x)”
  • a) A primeira questão que gostaria de levantar nessa música é a respeito da profundidade da letra. Responda-me qual é o conteúdo dessa letra? Ela fala da grandeza de Deus? Ela enaltece, engrandece, exalta o Senhor? Ela estimula a intimidade com Deus? Ela fala do consolo, conforto, da obra expiatória, do sacrifício perfeito de Cristo? Ela fala exatamente sobre o quê?
  • A verdade é que ela não fala nada, sobre nada. Não fala da grandeza e nem da majestade de Deus. Não fala da obra e nem do sofrimento de Cristo. É uma letra repetitiva que não diz absolutamente nada. Não tem profundidade nenhuma. Mostra a incompetência de análise e a fragilidade teológica e racional daqueles que a cantam. Talvez seja por isso que os cristãos, muitas vezes, são rotulados de ignorantes, analfabetos e incompetêntes intelectualmente.
  • Essa música ressalta a incoerência de uma igreja sem embasamento bíblico, que deseja cultuar a Deus de acordo com as suas desequilibradas concepções teológicas, e que sem sombra de dúvidas tem exaltado a criatura ao invés do criador. Deus aceita esse tipo de culto? Esse tipo de adoração agrada a Deus ou agrada ao homem? Exalta ao Criador ou tráz condenação e juízo para a criatura? Uma coisa é fato, não podemos adorar a Deus, ao nosso bel prazer, mas a nossa adoração tem que ser pautada na direção que vem do próprio Deus, a qual ele nos dá nas Escrituras Sagradas.
  • b) Esta música esta centrada em Deus ou no homem? Ela é humanista ou teocentrica? Quem é o centro dessa música? Quem pratica a ação? Quem tem maior evidência em sua letra, Deus ou o homem? Quem deve cantar? Quem deve pular? Quem deve aplaudir? Quem deve fazer o melhor? Logo, entendemos que esta é uma música centrada no homem. Eu canto, eu faço o melhor, eu amo, eu pulo, eu aplaudo. Uma música humanista e não teocentrica.
  • c) Esta música é a expressão atualizada do cristianismo pós-moderno, ou seja, um cristianismo fácil, frágil e vazio. Qual o melhor que Deus espera que façamos para Ele? Cantar? Pular? Aplaudir? Este é o melhor que devemos fazer para Deus? O problema é que essas coisas têm tomado o lugar da santidade, do abandono do pecado, do servir ao próximo, do zelo com a palavra, da dedicação na oração, da submissão às autoridades, das responsabilidades cristãs, etc.
  • As igrejas contemporâneas na sua maioria têm ficado apenas num cristianismo do cantar, pular e aplaudir, e não têm adquirido qualquer fundamentação bíblica, histórica e teológica. E a evidência da falta dessas fundamentações é exatamente quando ainda se canta esse tipo de música no culto.
  • d) Mostre-me na Biblia onde há pulo no culto? Onde há dança no culto? Onde há aplausos no culto? Não existe em nenhum texto bíblico comportamento como esses no culto. Quando os salmos falam sobre danças por exemplo eles estão falando de uma celebração que acontecia no caminho para o culto e em festas judaicas. No entanto sempre fora templo e fora do culto.
  • e) Quero concluir dizendo que esta é uma das piores músicas que já ouvi. Tanto teologicamente, como racionalmente. Francamente, cantar e permitir cantar essa música na igreja mostra a fragilidade do cristianismo contemporâneo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Que bom saber sobre essa musica fiquei pasma não tinha prestado atenção na letra, na verdade só cantamos e não prestamos atenção nas musicas gostei muito deste estudo parabéns Pastor como Deus usa o capacitado Dele.
rabalhei este estudo com os adolescentes da igreja e como foi benção e maravilhoso, aprofundamos mais nos corinhos e musicas fizemos uma pesquisa de duas semanas cada adolescentes ficou responsável de observar uma musica no final da pesquisa chamamos o nosso Pastor e ele foi analisar como nos.
Foi muito edificante muito obrigado por este estudo eu e a UPA agradecemos fique na Paz do Senhor Jesus.

Lele
Sinop MT
20de Agosoto de 2009

Contato Copeb disse...

Sou um crítico destas práticas quem têm infestado nossas igrejas, mas, esta música em particular, traz uma mensagem muito positiva: Faça o melhor pra Deus!

Crítico, sim! Criticista, não!